terça-feira, 17 de outubro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-66: ROMEU CESAR TAVANO



 
D   O   U  R  A  D  O

                               
I

Dourado, cidade querida,
Das plantações belas e floridas.
Suas praças são bem cuidadas,
Como um canteiro de margaridas
II
Ouvindo a palavra Dourado,
Fico cheio de alegria.
Pois a mesma está sempre brilhante,
Como o sol do meio dia.
III
Êsse nome surgiu um dia,
No ano de mil e oitocentos...
No bairro do Bebedouro,
De onde vêm os ventos.
IV
Há todos os tipos de lavouras,
A de arroz, café e feijão.
E as mais adiantadas,
São as de canas, milhos e algodão.
V
Há industrias e comércios,
Por todos os quarteirões.
Uma escola secundária.
Que é para o bem de nossa nação.
VI
Se um dia eu fôr embora,
Dela nunca me esquecerei.
Também hei de voltar,
Porque nela quero morrer.


 Por Romeu Cesar Tavano
Jornal de Dourado - ANO VI – Nº299
Domingo, 11 de Junho de 1967
 
 
 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-65: NOTAS ESPORTIVAS 7


CRÔNICA ESPORTIVA
 
A.A.PALMEIRAS de JAHÚ VS. C.E.F.DOURADENSE
 
13 DE JANEIRO DE 1932
 
Formidável vitória do "Ferroviário" sobre o "Palmeiras" de Jaú
Notas sobre o encontro
5 X 0
É esta a belíssima e singular vitória alcançada pelo ótimo e valoroso conjunto do 1º quadro do "Ferroviário", contra igual elemento do "Palmeiras", de Jaú, no campo deste ultimo.
É de se pasmar diante de tal contagem; resultado do encontro com um quadro tão forte e homogêneo como, com toda justiça é conhecido nestas redondezas o nosso antagonista, de domingo ultimo.
Nunca se ouvira falar de um resultado do mais feliz e expressivo do que esse que os Onze do Ferroviário conseguiu obter para as suas cores.
Resultado feliz por todos os motivos.
Feliz, dizemos, principalmente, pela maneira digna com que foi desenvolvido o jogo que se caracterizou pela sua disciplina e harmonia, graças ao gráo de educação elevada dos distintos moços do "Palmeiras".
Concorreu igualmente para tão honrosa finalidade os nossos bravos e heróis jogadores que para o orgulho também são dotados de tais requisitos de civilidade.
A essas excepcionais qualidades dos jogadores salienta-se as do excêntrico Juiz que, com proverbial maestria soube manter o jogo do começo ao fim, numa atmosfera da mais perfeita e mutua cordialidade e simpatia.
À esse digno cavalheiro de fino trato, hipotecamos os nossos melhores agradecimentos pela sua impeccável conduta.
Completou a nossa triunfante tarde esportiva em Jaú, a significativa vitória do 2º quadro do "Ferroviário" que, com toda bravura e valor soube sobrepujar os seus destemidos adversários com a superioridade de contagem de 3X2.
É digna também de elogios a maneira fidalga por que se portaram em campo os 22 jogadores desses dois quadros.
O Juiz dessa peleja nada deixou a desejar, tendo se conduzido com imparcialidade criteriosa, sendo por isso merecedor dos nossos agradecimentos.
Passemos agora a registrar como foi a hospedagem da caravana Douradense na bela cidade de Jaú.
Partiu ela de Dourado às 11 horas, em trem especial composto de 2 carros.
Como que, prenunciando a vitória, a nossa delegação esportiva era vivamente aclamada em todas as estações por onde passava o comboio. Prova indestrutível da estima e admiração que esses nossos visinhos devotam aos ferroviários.
O trem especial entrou na gare da Douradense, em Jaú, precisamente às 14 horas.
Ali, uma comissão composta dos diretores do "Palmeiras" e de elementos de destaque da sociedade jauense, aguardava a chegada da nossa delegação que foi logo após as saudações, conduzida de automóvel para a sede da Associação Atlética Palmeiras.
Após alguns minutos de descanso, dirigiram nossos jogadores para o campo da luta. A's 15,30 horas, teve inicio a peleja entre os segundos quadros, durante a qual se verificou de parte a parte, lances verdadeiramente sensacionais destacadamente o guardião Povineli, que deixou a assistência maravilhada.
Os pontos do "Ferroviários" foram conquistados por Fantini, Cunha e Benjamin.
- = -
A's 17,30 horas, entra em campo os garbosos jogadores dos primeiros quadros, e às 17,35 horas o juiz dá o apito inicial da pugna.
A enorme e seleta assistência começa desde logo a fremir. A qualquer feito dos jogadores de ambos os lados explodia-se em entusiásticas aclamações.
Apesar de forte pressão que ofereciam os nossos bravos contendores, o primeiro ponto coube aos ferroviários que foi marcado aos doze minutos de luta.
Depois disso, o jogo toma maior incremento e nota-se então, o interesse dos jogadores em conquistar pontos às suas cores. Tendo os do "Ferroviário", vazado mais uma vez a meta adversaria, a primeira fase do jogo é terminada pela contagem de 2X0.
No segundo tempo o jogo começa com a mesmo entusiasmo e ardor. Os nossos adversários dão mostra do seu alto valor técnico, tudo fazendo para abrir também a sua contagem, mas os nossos estão alertas e cada vez mais animados em levar de vencida a batalha.
Não obstante as várias tentativas a nossa defesa que está ótima consegue anular as investidas dos atacantes.
Zelão que está em seu dia, faz defezas admiráveis.
O jogo continua sempre, até o fim, com a mesma animação, porém, só os "Ferroviários" conseguem vantagem obtendo mais 3 pontos findo os quaes e terminada a luta com o score de 5X0 a nosso favor, cujos pontos foram conquistados por: Capilé 2, Claudio 2 e Faila 1.
Do nosso quadro não há elementos a se destacar, pois todos jogaram admiravelmente.
Conforme já ficou dito, é digno de registro a maneira delicada e cortez de todos os jogadores e da distinta assistência do "Palmeiras" para com o nosso pessoal.
A Diretoria da Associação Atlética Palmeiras é composta dos seguintes senhores: Presidente, Emilio Rossi; Vice-Presidente, Felício Di Chiachio; 1º Secretário, Luciano Delfino; 2º Secretário, Pedro Migliorini; 1º Tesoureiro, Virgilio Montovanelli e 2º Tesoureiro, Messias Roseto.
Estes distintos cavalheiros foram de uma amabilidade e gentileza extraordinárias para com os representantes do Clube Esportivo Ferroviário Douradense, não os abandonando um instante siquer desde a sua chegada até a hora da partida do especial de regresso para Dourado, o que deixou os Douradenses verdadeiramente cativos.
Sobre este mesmo jogo a "Gazeta Esportiva" de São Paulo,  de 11 do corrente, deu uma noticia muito lisonjeira para nós, pelo que aproveitamos da oportunidade para deixar aqui consignados os nossos agradecimentos àquella folha.     R.

C.E.F.DOURADENSE
JOSÉ
FATTORI - CANELLA
BARDI - BLUNDE - MELLÃO
NITO - PRESTES - CLAUDIO - CAPILÉ - FAILLA
 

 
 
 


CURIOSIDADE: O trem saiu de Dourado às 11,00hs e chegou em Jaú às 14,00hs, portanto 3 horas de viagens. O trajeto de Dourado/Jaú na época passava em 14 estações, num total de 98 Kms (98,573m), que eram: DOURADO-VILA SANTA CLARA-TRABIJÚ-MAJOR NOVAES-PEDRO ALEXANDRINO-BOCAINA-IZAR-POSTO RANGEL-MORAIS BARROS-MARAMBAIA-ITAPUÍ-JOSUÉ PRADO-PACHECO-JAÚ.
 
 Jornal "A UNIÃO"-Nº15-ANO I-DOURADO, 16 DE JANEIRO DE 1932
 Cópia do programa - RUDYNEI FATTORE

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-64: CENCO - JARDIM PAULISTA


CENCO - JARDIM PAULISTA
Uma realidade em Dourado

O Jardim Paulista, bairro mais populoso de Dourado, nasceu e cresce com uma população vinda, em sua maioria, da zona rural, e por isso mesmo é muito heterogênea.
Sentindo a dificuldade dessa população em se integrara na sociedade, foram surgindo pessoas preocupadas com a promoção sócio - religiosa dessa comunidade. Assim formaram um grupo sólido que em pouco tempo conseguiu formar o Centro de Encontros Comunitários "CENCO" do Jardim Paulista. 
O CENCO é um entidade reconhecida oficialmente, que tem como objetivo principal a promoção de casais do Jardim Paulista. Junto ao lado social, luta no momento pela construção da Igreja de Nossa Senhora Aparecida que se tornou a padroeira do bairro.
Em sua parte social, o CENCO conta com a ajuda da LBA e do MOBRAL. Através do programa leite em pó da LBA, são distribuídos mensalmente 300 kg de leite integral beneficiando gestantes, nutrizes e crianças de 1 a 6 anos, são 104 famílias favorecidas, a LBA promove também no CENCO, através de voluntários, produção de camisas, curso de marcenaria, etc.
Na parte religiosa, o CENCO promove novenas a Nossa Senhora Aparecida, missa mensal e já a célebre FESTA DO CENCO.
Como faz à 4 anos, no mês de outubro o CENCO promoverá a 4ª Festa em Louvor a NOSSA SENHORA APARECIDA. É um festa muito bonita, programada com a realidade do bairro e que visa na parte promocional, a união entre moradores do bairro e da cidade. Com a parte financeira visa a construção da IGREJA DE NOSSA SEMHORA APARECIDA
Neste ano de 1981, a 4ª Festa em Louvor a Nossa Senhora Aparecida terá inicio dia 27 de Setembro e seu encerramento dar-se-á em 25 de Outubro.
Suas atrações principais serão:
Dia 19/09 - Teatro Jovem no salão do CENCO.
Dia 27/09 - Almoço da Família no salão do CENCO.
Dia 03/10 - 2º Festival de Música Sertaneja no Salão do SALMER.
Dia 11/10 - Festividades a Nossa Senhora Aparecida, iniciada às 7,30hs. com missa solene no CENCO.
Dia 25/10 - Encerramento da Festa com procissão e grande queima de fogos.
Todos os sábados e domingos grande quermesse.
Roda de bichos, roda de signos, upla, pescaria, bar da festa, leilão, bazar do CENCO onde serão vendidos trabalhos confeccionados na própria entidade.
O CENCO espera contar com a ajuda de toda a população de Dourado.
Que Dourado possa ter no menor tempo possível, uma Igreja a NOSSA SENHORA APARECIDA, que antes de ser Padroeira do Jardim Paulista é a Padroeira do Brasil, nossa protetora.
 
JORNAL DE DOURADO-NUM.007-ANO I-DOURADO, 20 DE SETEMBRO DE 1981
 
- §§§§§§ -
 
ATA Nº1 - ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL DA APROVAÇÃO DOS ESTATUTOS E ELEIÇÃO DO "CENCO" - CENTRO DE ENCONTROS COMUNITÁRIOS DO JARDIM PAULISTA. EM 03/05/1978.
 
Aos três dias do mês de Maio do ano de mil novecentos e setenta e oito, às vinte horas, em uma das dependências da Sociedade Assistencial ao Menor de Dourado - SALMER, nesta cidade de Dourado, à Rua 13 de Maio nº695, devidamente convocados, reuniram-se pessoas representativas da sociedade local, com o escopo de deliberarem e aprovarem os Estatutos do Centro de  Encontros Comunitários do Jardim Paulista de Dourado (CENCO), fundado nesta cidade, bem como o de elegerem os seus primeiros dirigentes. Foi inicialmente aprovada a indicação do Sr. PAULO ANTONIO D'ABRUZZO, para presidir os trabalhos. Assumindo a presidência o Sr. Paulo Antônio D'Abruzzo escolheu a mim, LAVISE BRAGA BUZÁ FANTINI, para secretariar os trabalhos. O Senhor Presidente propôs a mim fazer a leitura dos Estatutos e explicar à casa os diversos itens. Assim, realmente se fez. Após debates, considerações e algumas alterações foram aprovados por unanimidade, os Estatutos do Centro de Encontros Comunitários do Jardim Paulista de Dourado (CENCO) - Capítulo I - Da Denominação, Sede, Natureza Jurídica, Duração e Foro. Artigo 1º - O Centro de Encontros Comunitários do Jardim Paulista de Dourado, também designado "CENCO", constituído em 25 de Janeiro de 1978, com sua sede nesta cidade de Dourado..... - Capítulo II - Dos Objetivos....Capítulo III - Do Patrimônio...Capítulo IV - Dos Orgãos e Direção...Capítulo V - Das Disposições Gerais e Transitórias.... Terminada a leitura senhor Presidente disse da necessidade de formação de um Conselho Deliberativo o qual logo a seguir elegeria a nova Diretoria do CENCO. Assim sendo o senhor Presidente indicou quinze sócios presentes para compor o Conselho e que são:- JOÃO ROMÃO, MARCILIO ROMEIRO, JOÃO ROQUE, ANTONIO ZANELLI, VALDEMAR PEREZ, LEONILDA ANTONIO, ISABEL MATHIAS ROSSI, RAIMUNDO SECUNDINO DOS SANTOS FILHO, JOSÉ CARLOS BATTISSACCO, DOMICIANO DE SOUZA, ANTONIO DE OLIVEIRA ROMÃO, JOÃO SALVADOR RIVA FINHANA, MARCILIO ROMÃO, NAIR DO AMARAL GENARDI e CLARINDA DAL'EVEDOVE. Foi colocado em votação e eleito, por unanimidade de votos. Encerrada a reunião e para constar, eu, Lavise Braga Buzá Fantini, Secretária, lavrei a presente ata que, aprovada após lida em voz alta, vai assinada por mim e pelos demais presentes (ass.) LAVISE BRAGA BUZÁ FANTINI, MARIA DE FATIMA DOS SANTOS, RAIMUNDO SECUNDINO DOS SANTOS FILHO, GERALDO STRUZZIATTO, RUTTE CROTE, LUIZ ANTONIO STRUZIATTO, JOÃO SALVADOR FINHANA RIVA, JOÃO ROQUE, APARECIDA C. ROQUE, WALDEMAR PEREZ, ZILDA STRUZZIATTO, PEDRO FLORES FILHO, CLÉLIA ROSSI FLORES, NAIR AMARAL GENARDI, ARISTIDE GENARDI, EDSON AP. GENARDI, ANTONIO AP. CARVALHO, SONIA MARIA DAL'EVEDOVE, CLARINDA M. F. DAL'EVEDOVE, ANTONIO DAL'EVEDOVE, NATAL DONIZETE BRUNASSI, NEUZA AP. FERRARI BRUNASSO, NELSON BRUNASSO, APARECIDA BONO, DOMINGOS BRUNASSI, PAULO HERMENEGILDO, APARECIDO BRUNASSO, ADÃO BENEDITO CROTI, ROSA ANTONIA CROTI, JOSÉ FERREIRA, VIOLINDO ROGANTI, APARECIDA DA SILVA ROGANTI, JOÃO DA SILVA, ARINETE ROBERTO DA SILVA, NELSON PENEDO, CLEUZA DE LIMA, RENATA PENEDO, LAERCIO SÁ, LOURDES GARCIA, JOSÉ GARCIA, FRANCISCO GARCIA MEDINA, ORLANDO GARCIA, LUZIA GARCIA, FRANCISCO LUIZ GARCIA, BENEDITO ADÃO GARCIA, ALAIDE TUSQUI GARCIA, LORIBERTO PASSOS, AIRTON PASSOS, ANTONIO SERGIO PASSOS, ANTONIO PASSOS, APARECIDA RODRIGUES PASSOS, DOLORES APARECIDA PASSOS, JULIO MARTINS, PIEDADE RODRIGUES MARTINS, VICENTE MARTINS, ELVIO MARTINS, GERALDO MARTINS, VALDIR MARTINS, ANTONIO MARTINS, JOSÉ CARLOS DAL'EVEDOVE, MARIA JOSÉ FAVONE ABARCA, FELIX ABARCA, ANTONIA FAVONE ABARCA, MARIA IZABEL FAVONE ABARCA, ANA MARIA NINZ FAVONE, LAUDIMIR FAVONE, ANTONIO GILBERTO SABATINE, MARIA JOSÉ CORREA, JOÃO FINHANA, MARIA FINHANA, BRAZ APARECIDO FINHANA, CLEONICE FINHANA, TERESINHA MEKARU DEVITA, JOSÉ PEDROSO, TERESA PEDROSO, BENEDITO APARECIDO DEVITA, IZABEL BERGAMASCO, CECILIA BERGAMASCO, PAQULO BERGAMASCO, BENEDITO JOÃO BERGAMASCO, JOSÉ EDUARDO DE SOUZA, MARIA ROBERTO DE SOUZA, DOMICIANO DE SOUZA, AGENOR R. DOMICIANO DE SOUZA, LUIZ CARLOS DE SOUZA, IZABEL DE SOUZA, SILVIO DONIZETTE DE SOUZA, MARIA ELISA ORTIZ, APARECIDO ORTIZ, ELENA VERRUMA FRANCISCO, ARLINDO FRANCISCO, MARIA DE LOURDES FAVONE, SALVADOR FAVONE, FERNANDP AP. FAVONI, MARIA MADALENA MARTINS FERNANDES, JOSÉ APARECIDO FERNANDES, PEDRO MARTINS VIEIRA, MARIA APARECIDA DE OLIVEIRA, MARCILIO ROMÃO, MARIA T.ROMÃO, MARIA AP. DE SOUZA FINHANA, ANTONIO DE OLIVEIRA ROMÃO, ANTONIO FINHANA SAMBRANA, MANOEL ISTRUCIATO, ERCILIA FIAMONCINI, ANTONIO FAVONE, MINERVINA FAVONE, NEIDE CELESTINO, ANTONIA CELESTINO, LICÉRIA CELESTINO, TEREZA CELESTINO, ANDRÉ PEREZ, TEREZA PEREZ, ALEXANDRE D. PEREZ, JOSÉ LUIZ FRANCISCO, AURÉLIO ROSSI, IZABEL MATIAS ROSSI, EGRACIL APARECIDA RODRIGUES BAZI, MARCILIO ROMEIRO, ELENICE AP. DAL NEGRO SIMÕES, VALENTIM DA CUNHA, ELIANA A. DE CAMARGO, LEONILDA ANTONIO, MARIA AP. SIMÕES, BENEDITO ANTONIO, IGNÊZ A. DE CAMARGO, JOSÉ CARLOS BATTISSACCO, APARECIDA DE FATIMA ROSSI, JOÃO ALBERTO PEREIRA DE MORAES, RODNEY FANTINI, PAULO ANTONIO D'ABRUZZO e JOSÉ MANOEL JUSTI.
- §§§§§§ -
ATA Nº2 - ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CENTRO DE ENCONTROS COMUNITÁRIOS DO JARDIM PAULISTA DE DOURADO (CENCO) EM 03/05/1978.
Aos três dias do mês de Maio de mil novecentos e setenta e oito.....finalidade de eleger a primeira diretoria do CENCO - Centro de Encontros Comunitários do Jardim Paulista de Dourado, ... Pelo Senhor Raimundo Secundino dos Santos Filho, foi apresentada a única chapa de diretoria aos senhores presentes e que após ser submetida à discussão foi posta em votação. A chapa eleita por unanimidade de votos, é a seguinte:- Presidente-PAULO ANTONIO D'ABRUZZO, 1º Vice-Presidente-RODNEY FANTINI, 2º Vice-Presidente-JOSÉ LUIZ FRANCISCO, 1º Tesoureiro-GERALDO STRUZIATTO, 2º Tesoureiro-JOSÉ MANOEL JUSTI, 1º Secretário-LUIZ BAZI, 2º Secretário-PEDRO FLORES FILHO....Logo a seguir foi encerrada a presente reunião r para constar, eu, Lavise Braga Buzá Fantini, secretária, lavrei a presente ata, que aprovada após lida em voz alta, vai assinada por mim e pelos demais presentes. (ass.) LAVISE BRAGA BUZÁ FANTINI, CLARINDA F. DAL'EVEDOVE, NAIR DO AMARAL CAMPOS GINARDI, JOÃO SALVADOR FINHANA RIVA, JOÃO ROQUE, JOSÉ CARLOS BATTISSACCO, RAIMUNDO SECUNDINO DOS SANTOS FILHO, DOMICIANO DE SOUZA, MARCILIO ROMÃO, JOÃO ROMÃO, MARCILIO ROMEIRO, IZABEL MATIAS ROSSI, LEONILDA ANTONIO, WALDEMAR PEREZ, ANTONIO ZANELLI, ANTOIO DE OLIVEIRA ROMÃO e PAULO ANTONIO D'ABRUZZO.  
- §§§§§§ -   
 
ATA Nº3 - De 26/08/1978 - Definida a programação da 1ª Festa do CENCO no Jardim Paulista, que será entre os dias 08/10 e 23/10/1978: Almoço da Família no Salão SALMER, Torneio Futebolístico no Parque São Pedro, Missa Solene na Capela do Asilo e Quermesse no terreno da futura sede do CENCO no Jardim Paulista, com animação da BANDA DO TANAKA.
-§§§§§§-
ATA Nº3 - De 05/08/1981 - Realização da 4ª Festa do CENCO, em louvor a NOSSA SENHORA APARECIDA, escolhida como Padroeira do Jardim Paulista.
-§§§§§§-
Nossa gratidão aos Presidentes do CENCO: PAULO ANTONIO D'ABRUZZO, GERALDO STRUZIATTO, DERSIO STELLA, MAURO CERINO DE ALMEIDA  e PEDRO FLORES FILHOS, com respectivas Diretorias e Comunidade, pelo muito que fizeram em prol  do Jardim Paulista.
-§§§§§§-
 
 
Prédio-sede do CENCO, inaugurado em 08/03/1981, com Missa Solene celebrada pelo Padre Carlos Antônio Jorge. Após a missa houve um coquetel e foi prestada homenagem póstuma ao DR.JOSÉ BUZÁ, grande colaborador da entidade. Rua Gaspero Fiamoncini esq. Rua Cap. Antonio Alves. 
 
    ATIVIDADES ESPORTIVAS
11/03/1979 - Torneio de Boccie promovido pelo CENCO, no Bar do Alexandre Lucatelli, Rua dos Ferroviários, Jardim Paulista.
18/03/1979 - Torneio de Futebol promovido pelo CENCO, no Estádio Municipal Parque São Pedro, Presidente Paulo Antônio D'Abruzzo, Diretoria e colaboradores.
 
     CONSTRUÇÃO DA IGREJA-ACABAMENTO DO TELHADO
 
 
                                               FESTA DE 1987 - PADRE JOSÉ ANTONIO
 
 
 
    2017 - IGREJA DE NOSSA SENHORA APARECIDA - JARDIM PAULISTA
                                                                                                                                                                                                                       
 
 
 
 
ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS-LAVISE/RODNEY FANTINI-CLÉLIA/PEDRO FLORES-EGRACIL/LUIZ BAZI.
 
 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-63: MILTES BUENO GALASSI - 2



TERRA DE LUZ
 
Dourado, joia engastada
No alto de uma colina
Linda, apesar de pequenina
Cromo perfeito, imagem encantada
 
No pôr do sol, se incendeia de luz
Brilha em esplendor, visão de magia
E na aurora colorida, de todo dia
Traz a mensagem celestial, de Jesus!
 
Terra tão bela, por seus filhos, amada
Herança de orgulho, e amor
Que ornamenta a história de louvor
Escrita em páginas de glórias conquistadas
 
Dourado! Teu nome já proclama
O ardor incandescente dessa chama
Que palpita em pulsante emoção!
Terra querida, patrimônio dessa gente
Que traz no peito a marca tão ardente
Desta estremecida, cidade-coração...
 
Miltes Bueno Galassi
Dourado, Maio de 2004

 
 DOURADO - 1985
 

TERR
TERRAT DE LUZ
TERRA DE LUZ

 

 

 

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-62: NOSSA HISTÓRIA VII


ACTOS DO PODER EXECUTIVO

LEI Nº 633
DE 18 DE JULHO DE 1899

DESANNEXA DA COMARCA DE BROTAS E INCORPORA A DE RIBEIRÃO BONITO O MUNICIPIO DE SÃO JOÃO BAPTISTA DOS DOURADOS

O coronel Fernando Prestes de Albuquerque, presidente do Estado de São Paulo.

Faço saber que o Congresso Legislativo decretou e eu promulgo a lei seguinte:

Artigo 1º Fica desannexado da comarca de Brotas e incorporado à de Ribeirão Bonito o município de SÃO JOÃO BAPTISTA DOS DOURADOS.

Artigo 2º Ficam revogadas as disposições em contrario.

O secretario de Estado dos Negócios da Justiça assim a faça executar.

Palácio do Governo do Estado do São Paulo, em 18 de Julho de 1899.

FERNANDO PRESTES DE ALBUQUERQUE
José Pereira de Queiroz

Publicada na Secretaria de Estado dos Negócios da Justiça, aos 18 de Julho de 1899.
O director geral, Joaquim de Azevedo Marques Filho

DIARIO OFFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
ANNO 9 - 11º DA REPUBLICA-Nº167-SÃO PAULO-TERÇA-FERIA, 25 DE JULHO DE 1899
- §§§ -

PROTESTO: Camara Municipal de Dourado-Livro de Actas Nº1-Fls.35-20/05/1899:- "Officiou-se o Congresso Legislativo do Estado, protestando contra a pretendida annexação deste Município ao de Ribeirão Bonito".

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-61: HEBDOMADÁRIO DOURADENSE - I


O DOURADENSE - Orgam independente, dedicado aos interesses locaes
"S.PAULO" - DOURADO-SABBADO, 20 DE FEVEREIRO DE 1904 - "BRAZIL"
Proprietário - FELICIO S. RACY -<<(o)>>- Collaboradores diversos
ANNO I - "O Douradense" publica-se aos sabbados - NUM.7 

 
ELEIÇÃO
De accordo com determinação da lei vigente, teve lugar no dia 15 do corrente a eleição para Presidente e Vice-presidente do Estado e bem assim de um Vereador à Camara Municipal.
O partido governista desta localidade teve o prazer de ver ainda uma vez, reunidos seus auxiliares, sempre promptos ao toque de chamada, e virem dar seu voto - o acto mais nobre da vida do cidadão - para a realisação da elegibilidade dos seus primeiros representantes. E assim foi que o partido governista desta villa, sob a direcção dos imminentes cidadãos: Coronel José de Arruda Penteado, Tenente Coronel Francisco Martins Bonilha, Major Domingos Alves de Lima, Elizeu Jacobucci e José Lopes dos Santos, que, dignamente, fazem parte do Directorio Governista, obtiveram, para os candidatos indicados, - presidente e vice-presidente 107 votos; vereador 105votos.
Em virtude desta victoria houve um lauto jantar offerecido ao eleitorado e à noite a banda "Brasileira" regida pelo hábil professor Sebastião Adão sahiu em passeata, visitando os membros do directorio e pessoas gradas, influencias politicas e sociaes.  
O "Douradense", se bem que não seja politico, congratula-se pela harmonia que reinou entre o povo e levanta bravo enthusiastico ao eleitorado independente da villa de Dourado.
-o-
A PEDIDOS
 
COMPANHIA AGRICOLA DE DOURADO
Convido aos Snrs. accionistas para comparecerem em assembleia geral no dia 21 do corrente, ao meio dia, no escriptorio desta Companhia.
De accordo com os estatutos terão de tomar conhecimento do relatório da administração e parecer do conselho fiscal referentes ao anno findo, eleger os membros da directoria, conselho fiscal e seus supplentes. 
Dourado, 1 de Fevereiro de 1904.
O Presidente Cyro M. Resende.
-o-
Colonos
Na Fazenda Santa Calara, deste Município, precisa-se de famílias de colonos para a próxima colheita do café; desde já, porem, dá-se-lhes serviço de camaradas ou de empreiteiros.
-o-
Arroz
Compra-se qualquer quantidade em casca: faz-se também negocio sobre o da próxima colheita.
Os vendedores deverão procurar o Se. Manoel Negrão, Fazenda Santa Clara, deste Município.-
  -o-
AULA DE CANTO
Aos srs. Paes de Família e Ex.ªs Senhoras
O professor SILVIO GONZAGA, tencionando formar uma orchestra para actos religiosos e concertos de salão, convida, desde já, aos srs. paes de família que tenham meninas e bem assim às Senhoras que queiram dedicar-se ao Canto Sacro, virem intender-se com o mesmo, afim de, combinados, dar começo às lições, que tornam-se precisas algum tempo antes aos ensaios da orchestra.
Dourado, 12 de Fevereiro de 1904.
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
LIVRO DE OURO
Pagaram as suas respectivas assignaturas os illustres Cidadãos Cel. Francisco Martins Bonilha, José Renaldo e Luiz Teixeira Pinto. Os nossos agradecimentos. 
---
No dia 17 deste festejou o seu annniversario a Senhorita D. Eliza de Araújo filha do nosso estimado amigo Sr. Alfredo A. de Araújo. A Ex.ª Senhorita damos os parabéns, e desejamos lhe longa vida e felicidades.
---
Seguiu, há dias ao Jahú o nosso particular amigo, sr. cap. Calmelio Caldas, digno Intendente Municipal. Feliz viageme breve regresso, são os nossos desejos.
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
 
O SORRISO DE
DESGOSTO
 
Qual n'um dia d'inverno nebuloso,
Si algum raio do sol as nuvens fende,
Se apaga o seu clarão, nem bem accende,
E mais o céo parece tenebroso.
 
Assim si algum sorriso duvidoso,
Acaso de meus lábios se desprende,
Os traços de meu rosto mal distende,
E mais fica o semblante pesaroso.
 
E em troco do sorriso da ventura,
Nem sequer outurgada foi-me o pranto,
O pranto, que é o riso da amargura.
 
Para mim o chorar teria encanto,
Talvez mescado fosse de ternura,
Talvez meu dissabor não fosse tanto!
 
UM POETA                      1847
-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
 
 

 
ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS/MANOEL CARDOSO DOS SANTOS FILHO(Manelito)
 
 
     

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

CASA DOS PAPÉIS-60: O ESTUDANTE COLABORA V


UMA NOITE MAL DORMIDA

No silêncio do quarto só se ouvia o movimento compassado do relógio.
Mergulhada na solidão, a jovem procurava dormir.
Tudo inútil, nada do sono aparecer e ao menor ruído que ouvisse sentia uma pontada no coração. Era o medo que a fazia estremecer.
Lá fora ouvia-se o piado da coruja, o canto dos grilos, ao longe o rinchado de algum cavalo ou mugido de algum boi.
Era a primeira vez que passava a noite num campo, isolada completamente da vida agitada da cidade grande. Aquele silencio a deprimia, aquela escuridão fazia com que ela se sentisse como um cãozinho assustado, com medo que o canzarrão lhe batesse.
E aquele tique taque em seu ouvido.
Oh! como foi terrível. Uma angustia apoderou-se dela e parece que não tinha a menor intenção de deixa-la em paz.
Mas felizmente ao amanhecer e quando viu os primeiros raios de sol penetrarem no quarto pelas frestas da janela, deu graças aos céus; não suportaria mais aquela aflição.
E agora em casa, ouvindo as constantes buzinas dos automóveis, os apitos das fábricas à saída dos operários. Maria Clara não quer nem pensar mais naquela tão mal dormida, no campo.

ROSA LUZIA SPERANZA - 3º ANO NORMAL
-§§§§§§-
 
UMA NOITE MAL DORMIDA
 
Foi aquela!...
Que noite mal dormida!...
Não conseguia dormir e nem concentrar um pensamento sequer.
Era uma tamanha confusão...
Pensamento para todo o lado.
Por que teria acontecido isso?
Ouvi bater, uma, duas, três horas da madrugada, o resto não lembro mais.
Dormi...
Sonhei que estava acordada, sentada num banquinho de madeira, à sombra de uma grande árvore, lugar maravilhoso, mas sozinha. Não havia ninguém para que eu me desabafasse.
Chorei...
Chorei baixinho, mas os soluços eram tão altos que minha mãe ouviu e veio me acordar.
E sentiu pena de mim.
De manhã acordei; não enxergava quase nada, pois quando choro meus olhos incham.
Assustei-me.
Meu travesseiro estava em pingos.
Foi um sonho tão real que comecei a chorar novamente.
Queria dormir mais para continuar aquele sonho. Será que chegaria alguém? Ficaria só?
Quem sabe?
Será que sonhei mesmo?
Até hoje continuo indecisa.
Mas lembro-me perfeitamente que não foi uma noite que poderia dizer: - "Hoje dormi bem!"
 
ELIZABETH ALVES COSTA-3º ANO NORMAL

 
 
 
 JORNAL DE DOURADO-Nº271-ANO VI-DOMINGO, 21 DE ABRIL DE 1968
Coordenação da Profª. MARIA APARECIDA VALENTE, cadeira de Português da ENGED